Aumentar fonte:

Pequenos investidores aumentam participação no Tesouro Direto

Investimentos de até R$ 5 mil representam 85,97% do total, maior percentual da série histórica 

 

 

Base de investidores

Em julho de 2019, o total de investidores ativos no Tesouro Direto, isto é, aqueles que atualmente estão com saldo em aplicações no programa, atingiu a marca de 1.109.363 pessoas. No mês passado, 36.373 investidores tornaram-se ativos, um crescimento de 3,39% em relação ao mês anterior. Já o crescimento no número de investidores cadastrados no programa atingiu seu segundo maior valor na série histórica, 227.680, ou 5,23% a mais na comparação com junho, atingindo a marca de 4.578.915 pessoas.

 

Operações de investimento

No mês de julho de 2019, foram realizadas 545.576 operações de investimento em títulos do Tesouro Direto (segundo maior valor da série), no valor total de R$ 2,66 bilhões. Durante o mês, os resgates foram de R$ 2,22 bilhões, sendo R$ 2,12 bilhões em recompras e R$ 92,19 milhões em vencimentos. Dessa forma, houve venda líquida de R$ 440,75 milhões. Ademais, o valor médio de operações foi o menor da série histórica, R$ 4.896,62, demonstrando o caráter democrático do programa. Isso também é explicado pela segunda maior proporção de aplicações de até R$ 1 mil da série histórica, que no mês de julho foi de 64,92%.

 

Os títulos mais demandados pelos investidores foram os indexados à taxa Selic (Tesouro Selic) que totalizaram R$ 1,31 bilhão, representando 49,46% das vendas. Os títulos indexados à inflação (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais) somaram, em vendas, R$ 928,85 milhões e corresponderam a 34,96% do total, enquanto as vendas de prefixados (Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais) totalizaram R$ 413,87 milhões, ou 15,58%.

 

Nas recompras, predominaram os títulos indexados à Taxa Selic, que somaram R$ 1,03 bilhão (48,60%). Os títulos indexados a índices de preços (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais) totalizaram R$ 776,07 milhões (36,54%), os prefixados, R$ 314,22 milhões (14,80%), enquanto os títulos indexados ao IGP-M somaram 1,33 milhão (0,06%).

 

Quanto ao prazo, a maior parcela de vendas se concentrou nos títulos com vencimento entre 5 e 10 anos, que alcançaram 75,27% do total. Em seguida, as aplicações em títulos com vencimento acima de 10 anos representaram 22,01%, enquanto os títulos com vencimento de 1 a 5 anos corresponderam a 2,72% do total. 

 

Estoque

Em julho de 2019, o estoque do programa fechou em R$ 57,81 bilhões, um crescimento de 1,53% com relação ao mês anterior (R$ 56,94 bilhões).

 

Os títulos remunerados por índices de preços se mantêm como os mais representativos do estoque, somando R$ 27,73 bilhões, ou 47,96% do total. Na sequência, vêm os títulos indexados à taxa Selic, totalizando R$ 20,00 bilhões (34,60%), e os títulos prefixados, que somaram R$ 10,02 bilhões, com 17,33% do total. Por último, os títulos indexados ao IGP-M somaram R$ 61,35 milhões (0,11%).

 

Quanto ao perfil de vencimento dos títulos em estoque, a parcela com vencimento em até 1 ano fechou o mês em R$ 608,31 milhões, ou 1,05% do total. A parcela do estoque vincendo de 1 a 5 anos foi de R$ 19,43 bilhões (33,61%) e o percentual acima de 5 anos somou R$ 37,77 bilhões (65,34%).

 

O balanço completo do Tesouro Direto está disponível em https://www.tesouro.fazenda.gov.br/pt/balanco-e-estatisticas